Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

A Pequena Reikiana

Um blog de uma reikiana em constante aprendizagem...

A Pequena Reikiana

Um blog de uma reikiana em constante aprendizagem...

Saber quando parar

stop-3089945_960_720.jpg

 

Ao querermos ser agradáveis para toda a gente, ao sermos prestativos, sempre presentes, amigo do nosso amigo, às vezes, levamos com respostas tortas e deceções. A quem nunca aconteceu?

 

Só quem realmente se preocupa com os outros sabe qual é este sentimento. Eu, na minha eterna ingenuidade, continuo a achar que vale sempre a pena ajudar o próximo. Mas quantas mais vezes serão precisas para aprender que nem toda a gente merece? Não sei...

 

Começo a entender que há um momento em que temos de saber parar. Temos de saber parar as mensagens, parar de dar atenção e dedicar o nosso tempo a quem não merece. Parar de pensar naquela pessoa que, provavelmente, tem mais do que fazer do que pensar em nós. Parar de nos preocupar com aquele amigo que não se preocupa da mesma maneira connosco. Parar de dar mais atenção aos problemas dos outros do que aos nossos.

 

Porque é exatamente isso que acontece. Acabamos por nos esquecer de nós e de quem nos é mais próximo para ajudar e dar atenção a outras pessoas que, depois, quando precisamos, raramente estão lá.

 

Criamos ilusões, criamos expetativas que se tornam em deceções atrás de deceções. E para quê? Isso faz de nós melhores pessoas? Chego à conclusão de que não.

 

Acredito que devemos dar o melhor de nós, sim. Mas acredito também que devemos saber quando parar é o melhor para nós. Quem realmente nos quiser na vida deles e se preocupar connosco, mais cedo ou mais tarde, voltará. Não precisamos de estar sempre presentes nem querer sempre ajudar.

 

No Reiki, um dos princípios é precisamente "Só por hoje, sou bondoso". Mas ser bondoso não significa ser ingénuo nem, muito menos, ser "usado". Ser bondoso significa dar o melhor de nós a todos os seres vivos, ter um sorriso amigo quando necessário, uma palavra de conforto e ajudar no que pudermos.

 

Mas ser bondoso não significa que temos de estar disponíveis para todos a toda a hora, nem que temos de estar sempre bem dispostos quando as pessoas não nos retribuem da mesma forma. Ser bondoso sim, ser ingénuo não.

 

Por isso, é importante saber quando parar. Haverá, infelizmente, sempre alguém a quem podemos ajudar, alguém com quem poderemos utilizar essa bondade que existe dentro dos nossos corações. Só precisamos de saber utilizá-la, realmente, com quem merece.