Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Pequena Reikiana

Um blog de uma reikiana em constante aprendizagem...

A Pequena Reikiana

Um blog de uma reikiana em constante aprendizagem...

Os guias também gostam de brincar, é?

wooden-mannequin-791720_960_720.jpg

 

Já aqui abordei os temas dos guias e da dificuldade que tive em compreender a forma como eles me transmitiam as suas mensagens. Já admiti que nem sempre sou a pessoa mais calma do mundo e que, muitas vezes, não tenho paciência para esperar que me deem um sinal, mas tenho de vos confessar que acho que eles andam a brincar comigo...

 

Depois de ter percebido como a coisa funciona, e de esperar, calmamente, dentro do humanamente possível para mim, que me deem um sinal qualquer de que estou no rumo certo ou de uma resposta a algo que preciso naquela altura, tudo se tornou mais fácil. Basta continuar a minha vida normalmente, fazer o que a minha intuição me diz e esperar pelo sinal. E o incrível é que ele tem vindo, sempre, mas ultimamente é totalmente contraditório ao que veio anteriormente.

 

Se eu estou indecisa em fazer algo, peço ajuda ao Universo. Como tem funcionado, acho que me habituei a isso. Então, lá peço eu ajuda aos guias. Espero pela resposta. Ela vem, e eu acho que estou no caminho certo. Sigo a minha intuição e vamos em frente. Mas..... uns dias depois, quando eu já estou totalmente decidida que aquele é o caminho, que aquela é a solução, lá me enviam um sinal que ups... afinal não é assim.

 

E isto anda-me a tirar do sério. Eu juro que acho que o Universo, ou os guias, ou alguém pelo menos, anda a brincar comigo. Ou então, decidiram que eu tenho alguma piada e estão a divertir-se em dar comigo em maluca. Só pode ser isso. Não vejo outra explicação possível para o que tem acontecido nas últimas semanas.

 

É que é incrível. E não estou a falar de um caso isolado, se assim fosse talvez pensasse que eu é que tinha compreendido mal. Mas as situações têm-se repetido, umas atrás das outras, continuamente ao longo de semanas a fio. Ora um dia é sim, ora outro dia é não. Ora um dia vais por aqui, ora no outro dia já é melhor ires por ali.

 

Eu decido algo, meto na cabeça, começo a projetar, mentalizar, fazer tudo certinho para seguir aquele caminho porque, supostamente, é o melhor e é o que eu devo fazer, e "alguém" manda o "recado" que devo mudar novamente. A sério???

 

Vejam lá se se decidem por favor porque eu sei que pode ser muito engraçado de ver, mas garanto-vos que não tem piada nenhuma para quem sente na pele. Ou é direita ou esquerda. Ou é para fazer ou é para esquecer. Decidam-se, por favor, antes que eu dê em maluca de vez.

 

Grata pela atenção.

 

O pêndulo diz a verdade?

pendulos-esotericos.png

 

Esta é uma questão que muitos colocam, embora nem todos a coloquem publicamente. Pessoalmente, já me questionaram várias vezes sobre o assunto e, por isso mesmo, achei melhor voltar a abordar o tema e explicar exatamente o que penso e o que sei pela experiência que tenho na radiestesia.

 

Como já referi noutros textos, o pêndulo é um instrumento que nos fornece respostas rápidas para questões rápidas. Pode ser usado noutros contextos, mas neste caso vamo-nos focar apenas nas questões que gostamos de colocar tantas e tantas vezes, para termos a certeza que obtemos a resposta certa (ou a que queremos...).

 

Se o pêndulo diz a verdade? Diz. Temos é de saber como o fazer e, principalmente, não deixar que a nossa mente interfira de alguma forma na resposta. Porque a verdade é que um bom radiestesista consegue facilmente manipular o pêndulo, e se isso é bom porque demonstra que sabe o que está a fazer e que tem a ligação necessária com o pêndulo, também pode significar problemas nas respostas.

 

Contudo, isto, por norma, apenas acontece quando o radiestesista tem algum tipo de ligação com a questão que está a colocar. Por exemplo, no meu caso, é-me difícil conseguir respostas para mim própria, pois interfiro com o pêndulo já que, mesmo que inconscientemente, tenho uma expetativa da resposta que gostaria de obter. O que não acontece quando faço questões para outras pessoas, porque apenas me preocupo em manter a ligação com o pêndulo e deixar que ele faça o seu trabalho, não esperando nada em relação à resposta obtida.

 

Por isso, e como já expliquei anteriormente, o truque para obtermos as respostas certas para as nossas questões é, nada mais nada menos, que nos abstrairmos de que a questão é para nós, deixar as expetativas de lado e limpar totalmente a mente.

 

Porque a verdade é que o pêndulo não se engana, quem se engana somos nós que, sem querer, interferimos nas respostas com a nossa mente. E como o pêndulo está ligado a nós... é fácil de entender a ligação.

 

Nunca é demais também lembrar que o pêndulo diz a verdade, sim, dá-nos as respostas corretas, desde que saibamos interpretar, mas que essas mesmas respostas podem ser alteradas a qualquer momento, basta que, por qualquer razão, nos desviemos do caminho que estávamos a seguir, o que altera, muitas vezes, a resposta.

 

Um bom truque, que utilizo em coisas importantes, é colocar a questão, ver a resposta dada, continuar a fazer as coisas normalmente e, uns dias depois, voltar a colocar a mesma questão. Se a resposta se mantiver, sei que estou no caminho certo.

 

Espero que este texto ajude outros como eu apaixonados pela radiestesia e que consiga retirar dúvidas a quem ainda as tenha.

Alguns truques para combater a ansiedade

girl-2395402_960_720.jpg

 

No outro dia, após escrever o texto sobre a falta que a Natureza nos faz e dar alguns exemplos sobre como me acalmava o contacto com a Natureza, lembrei-me de partilhar alguns dos outros truques que fui aprendendo ao longo do tempo para combater e controlar as crises de ansiedade.

 

Como, infelizmente, sei que muita gente sofre do mesmo mal, aqui ficam algumas sugestões que espero que vos ajudem como me ajudam a mim.

 

Além de abraçar ou simplesmente colocar uma mão, ou as duas, numa árvore, também o mar e o contacto com o mar ajudam a controlar as crises de ansiedade. Nesta altura de calor e de férias para muitos, nada melhor que o contacto com o mar, nem que seja apenas ficar a observar as ondas por um bocadinho ou, se possível, ir mesmo junto ao mar e molhar os pés.

 

A mim, colocar água no peito e ficar "de molho" ali à beira-mar é das melhores coisas para me acalmar, seja em crises de ansiedade seja mesmo por qualquer motivo que me irritou. Nada me acalma tão rapidamente quanto o mar. Mas claro que cada um tem as suas preferências...

 

Também a meditação ajuda, claro. Aliás, esta é, talvez, a forma mais usada para tratar crises de ansiedade, e quem as tem, sabe bem o quanto ajuda. Uma pequena meditação, de 15 minutos, por exemplo, é, muitas vezes, suficiente para acalmar a mente e passar aquela ansiedade que parece que nos vai tirar o folêgo.

 

Mas nem sempre isso é possível. Se estamos num espaço público, por exemplo, como um restaurante, uma festa, etc, é difícil de sair e procurar uma árvore ou ir até ao mar, quanto mais meditar. Por isso, uma das técnicas que utilizo, e que comigo descobri que funciona muito bem, é colocar a mão direita ou esquerda (depende muito de cada um, na verdade) sobre o peito, na zona do chakra do coração.

 

Esta técnica não me foi ensinada, não costumo utilizar com símbolos de Reiki (embora não os descarte, claro), mas foi algo intuitivo que fiz a primeira vez sem me aperceber e que reparei que funcionou. E admito que, ainda hoje, apesar de as crises serem muito menos frequentes, por vezes, há momentos em que começo a sentir alguns sintomas e já nem penso. A primeira coisa que faço é automaticamente colocar a mão sobre o chakra do coração e passados uns segundos começo a ficar logo melhor.

 

Acredito que esta simples técnica, que podemos usar em qualquer sítio e sem que ninguém dê por nada, pode ser bastante útil para todos aqueles que sofrem do mesmo mal que eu. Claro que este gesto pode e deve ser acompanhado de uma respiração lenta e controlada, e, sempre que possível, aliada a sessões de reiki para tratar dos reais problemas que estão por detrás das crises de ansiedade.